Brasília - DF: SAS Qd. 06 Bloco K, Ed. Belvedere, 7º andar - CEP: 70070-915 - Brasília - DF   |   Sede Administrativo - São Paulo: Rua Japurá, 43 - Bela Vista - São Paulo - SP
Telefone: (11) 3105-8476   |   WhatsApp: (11) 96641-1803   |   E-mail: administrativo@conacate.org.br

  • Facebook
  • Instagram
  • YouTube
Conacate_Logotipo_nov2018.png

A Conacate apoia

Brasil é o 5º país com mais mulheres em cargos de liderança no setor público, indica Ernst & Young

 

O Brasil ocupa o 5º lugar no ranking de representatividade feminina em posições de liderança em cargos públicos, de acordo com o Worldwide Women Public Sector Leaders Index, elaborado anualmente pela Ernst & Young (EY). Segundo o levantamento, mulheres representam 48% da força de trabalho global do setor público, mas ocupam menos de 20% de cargos de liderança no setor em países do G20.

 

O índice chama a atenção para o fato de que as mulheres continuam sub-representadas no setor público. O Canadá lidera a lista, seguido por Austrália, África do Sul e Reino Unido. A Arábia Saudita aparece em última colocação. A pesquisa também considerou dados sobre a representatividade das mulheres nos conselhos do setor privado e no parlamento de cada país. O Brasil é o 5º colocado em número de mulheres em cargos de liderança no setor público, o 19º em mulheres no parlamento e o 15º em número de mulheres em conselhos do setor privado, ocupando cerca de 5% 

das cadeiras dos conselhos.

 

Para Liliana Junqueira, sócia líder para governo e setor público da Ernst & Young (EY), o processo de inclusão feminina em áreas importantes do governo ainda está em fase inicial. "Muitos setores permanecem com o pensamento ultrapassado de que a mulher pode ter imprevistos que a impeçam de participar assídua e ativamente das reuniões", 

afirma a executiva da EY.

 

Outro destaque no estudo foi a África do Sul, que mantém posições altas nos três quesitos pesquisados. Tudo indica que o país africano deva continuar subindo nos próximos levantamentos, especialmente se uma medida em discussão no parlamento – que prevê a obrigatoriedade de 50% de representação feminina em cargos com poder de decisão em todas as áreas do setor público e privado – for aprovada.

 

No Brasil, a presidenta Dilma Rousseff, é uma defensora da necessidade de mais mulheres em posições de chefia em todos os setores. Ela nomeou mulheres para dez dos 39 postos ministeriais de seu governo.

 

 

Fonte: Portal EY