Conacate_Logotipo_nov2018_400px.jpg
  • Facebook
  • Instagram
  • YouTube

Protesto contra a PEC32

Servidores públicos e entidades de diversos setores protestam em todo país contra a reforma administrativa - PEC 32


Na última quarta-feira (23/06), centenas de entidades se uniram em prol de um objetivo comum: protestar contra a aprovação da PEC 32, da reforma administrativas. Com faixas, camisetas, bandeiras, carros de som, centenas de servidores públicos e entidades do setor privado, manifestaram suas opiniões contrárias a essa proposta que está sendo apelidada de PEC da Rachadinha e PEC do Desmonte do Serviço Público.


Setores da segurança, da saúde, da educação, dos legislativos...foram as ruas pedir um debate mais aprofundado sobre a PEC e alertar a população sobre os impactos que a essa proposta terá em suas vidas, caso ela seja aprovada.


A Reforma Administrativa vai permitir a terceirização de quase todas as atividades que hoje são responsabilidade do poder público, a exceção apenas das atividades dos cargos típicos de estado. Além disso, ela prega o fim da estabilidade dos servidores deixando-os sem esse importante recurso de proteção e favorecendo que pessoas em cargos comissionados ou políticos possam atuar conforme seus interesses pessoais contra o Estado Democrático, contra a população.


A PEC 32 é uma verdadeira ameaça, é a precarização dos serviços públicos essenciais prestados à sociedade e a Nação. Não se trata de uma proposta de melhora na eficiência dos atendimentos e processos, mas do desmonte do Estado e de facilitação de apadrinhamentos e politicagem.


Relatório da Consultoria de Orçamentos, Fiscalização e Controle (Conorf) do Senado já mostrou que a PEC 32 fará com que o serviço público brasileiro tenha mais de 1 milhão de cargos para livre nomeação! Ainda segundo a nota técnica, a ampliação dos cargos comissionados com a ocupação de funções estratégicas por profissionais de fora do setor poderá gerar prejuízo de R$ 115 bilhões aos cofres públicos.


É hora de união! A PEC está em análise da comissão especial da Câmara e o presidente dessa Casa afirma que pretende votá-la até agosto.